Vigilância Sanitária inicia ronda de controle de qualidade do pescado potiguar

Corretores de planos de saúde em Natal

Vigilância Sanitária inicia ronda de controle de qualidade do pescado potiguar

Piche problema de saúde

As praias do Rio Grande do Norte pintaram-se de preto no início de setembro com o deramamento de toneladas de “piche”. Uma massa gelatinosa que grudava em tudo o que tocava afetou 46 áreas do Rio Grande do Norte. Foram vários os casos relatados de tartarugas e aves encontrados mortos por causa do piche, as instituições públicas fizeram um chamamento a população para evitar o contato direto com a substância, houve inclusive quem teve reações após se expor ao produto.

Diante esse cenário, os mais afetados são os pescadores, que reclamam sobre a falta de apoio das instituições públicas.

A Subcoordenadoria de Vigilância Sanitária (SUVISA) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) do RN, anunciou que visitará os mercados locais de 10 municípios atingidos pelo óleo para coletar amostras e avaliar a qualidade do peixe, marisco, caranguejo, polvo, ostra, camarão, lagosta e ginga que é pescado no município. As visitas começaram na segunda-feira, 18 de Novembro, em Tibau do Sul.

Canguaretama, Baía Formosa, Nísia Floresta, Rio do Fogo, Caiçara, Porto do Mangue, Areia Branca, Tibau e Macau, que tiveram praias alcançadas pelas manchas de óleo, também serão visitadas e amostras de pescados serão coletadas.

A Agência de Vigilância Sanitária fiscaliza o pescado potiguar

A Agência de Vigilância Sanitária fiscaliza o pescado potiguar

Segundo nota da Sesap, as amostras coletadas serão entregues a Lacen para que seja feita uma análise macroscópica e verificar se há contaminação por vestígios de óleo. Na nota divulgada da Sesap, não se fala sobre quando os resultados do estúdio serão divulgados.

Desde que apareceram as manchas de piche no mar, a demanda de peixe vem diminuindo. O portal OP9 assegura que as vendas de pescado caíram de 200 quilos semanais para apenas 60 quilos e que nos restaurantes têm percebido que os clientes evitam consumi-lo.

Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *